Psicomotricidade2018-03-28T15:21:31+00:00

PSICOMOTRICIDADE

PSICOMOTRICIDADE
EM PORTUGAL

PSICOMOTRICIDADE
NA EUROPA

PRATICAS
PROFISSIONAIS

Psicomotricidade em Portugal

História e Desenvolvimento

A Psicomotricidade surgiu em Portugal a partir da licenciatura em Educação Física na Faculdade de Motricidade Humana, na década de 80 do século XX. Inicialmente existia uma especialização em Educação Especial e Reabilitação (EER) que contemplava algumas noções básicas de Psicomotricidade. No início dos anos 90, esta especialização foi separada da licenciatura de Educação Física e tornou-se uma licenciatura independente com três ramos de especialização, um dos quais foi designado por “Reeducação Psicomotora e Terapia”. Em 2002, a licenciatura em Educação Especial e Reabilitação, evoluiu para uma licenciatura específica em Reabilitação Psicomotora, mais tarde adaptada ao processo de Bolonha. Em 2006, uma nova licenciatura em Reabilitação Psicomotora foi criada na Universidade Fernando Pessoa e em 2007, mais três universidades criaram uma licenciatura em Reabilitação Psicomotora: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Instituto Piaget e Universidade de Évora. Actualmente, a licenciatura em Reabilitação Psicomotora encontra-se como oferta formativa da Universidade de Lisboa (na Faculdade de Motricidade Humana), na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e na Universidade de Évora.

Universidade Técnica de Lisboa

Faculdade de Motricidade Humana (FMH)
Setor Publico

Licenciatura
Licenciatura em Reabilitação Psicomotora de 6 semestres de estudos e 180 ECTS

Mestrado
Mestrado em Reabilitação Psicomotora quatro semestres letivos (120 ECTS)

Número Anual de Licenciados em Reabilitação Psicomotora
50 profissionais

Universidade de Evora (UE)

Setor Publico

Licenciatura
Licenciatura em Reabilitação Psicomotora de 6 semestres de estudos e 180 ECTS

Mestrado
Mestrado em Psicomotricidade com quatro semestres letivos (120 ECTS)

Número Anual de Licenciados em Reabilitação Psicomotora
30 profissionais

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)

Setor Publico

Licenciatura
Licenciatura em Reabilitação Psicomotora de 6 semestres de estudos e 180 ECTS

Número Anual de Licenciados em Reabilitação Psicomotora
30 profissionais

Psicomotricidade na Europa

Em consequência do trabalho desenvolvido a nível europeu por representantes de 14 países, reunidos em Marburg (Alemanha), em maio de 1995, foi criado um grupo de trabalho com o objetivo de promover o desenvolvimento da Psicomotricidade no espaço Europeu, estabelecendo os princípios e o meio de colaboração necessários para a constituição de uma associação europeia denominada Fórum Europeu de Psicomotricidade (FEP). A constituição formal do FEP, como uma federação de países onde se pratica a Psicomotricidade, teve lugar no dia 18 de setembro de 1996 durante o 1º Congresso Europeu de Psicomotricidade, realizado em Marburg; o documento de constituição foi assinado por delegados de 14 associações profissionais representantes da Bélgica, Dinamarca, França, Itália, Luxemburgo, Holanda, Noruega, Áustria, Portugal, Suíça, Suécia, Eslovénia, Espanha, República Checa e Alemanha. Em 1997, o FEP foi oficialmente registado em Estrasburgo através do depósito oficial dos seus estatutos e em março de 2007 foi aceite pela Comissão Europeia como parceiro para consultoria, sendo incluído na lista de contatos com entidades profissionais o endereço da página Web do FEP.
Segundo o FEP, o termo Psicomotricidade baseia-se numa visão holística do ser humano, da unidade do corpo e da psique, integrando as interações cognitivas, emocionais, simbólicas e corporais na capacidade de ser e de agir do indivíduo, num contexto biopsicossocial. Em vários países europeus, os psicomotricistas intervêm em diversas áreas, no âmbito da prevenção, saúde, (re)educação, reabilitação e investigação, trabalhando ao longo de todo o percurso de vida e com todos os grupos etários.

SAIBA MAIS SOBRE O FEP

Compromisso Europeu

Todos os países pertencentes ao FEP se comprometeram a colaborar no apoio à Psicomotricidade na Europa, tanto na sua aplicação pedagógica e terapêutica, como na formação e aperfeiçoamento, na profissionalização e na investigação científica. Posto isto, foram estabelecidos objetivos, entre os quais:

    • Desenvolvimento da cooperação entre os psicomotricistas de diferentes países e regiões da Europa (intercâmbios de informação, elaboração de projetos, organização de congressos, investimento em estudos de investigação);
    • Apoio aos países e regiões onde a Psicomotricidade ainda não se encontra suficientemente desenvolvida, envolvendo ajudas organizativas e apoio à formação e aperfeiçoamento;
    • Coordenação da formação e do aperfeiçoamento profissional, promovendo a harmonização das formações profissionais nos âmbitos reconhecidos pelos governos;
    • Reconhecimento mútuo de formações e possibilidades de exercício profissional;Representação dos interesses comuns da política profissional, reconhecimento pelos seguros de saúde, nível de salários, proteção da formação.

A Ação

​Com o intuito de cumprir os objetivos a que se propuseram, todos os países pertencentes ao FEP se regem pelos seguintes princípios de ação:

    • Abertura a diferentes ideias sem perder a sua própria identidade;
    • Aprender mais sobre os outros e conhecê-los melhor;
    • Clarificar a especificidade do perfil psicomotor;
    • Identificar, desenvolver e representar os interesses comuns na União Europeia, nomeadamente no que respeita ao curriculum dos cursos de Psicomotricidade e ao reconhecimento da profissão Psicomotricista.

Prática Profissional

Os Psicomotricistas podem exercer a sua actividade profissional no âmbito terapêutico, reabilitativo, reeducativo e/ou preventivo, nas mais diversas situações ligadas a problemas de desenvolvimento e de maturação psicomotora, de comportamento, de aprendizagem e de âmbito psico-afectivo.

A Intervenção Psicomotora destina-se a todos os grupos etários e utiliza diversas metodologias: técnicas de relaxação e consciência corporal, terapias expressivas, actividades lúdicas, actividades de recreação terapêutica, actividade motora adaptada e actividades de consciencialização motora, associando sempre a actividade representativa e simbólica.

Os Psicomotricistas desenvolvem o seu trabalho nos sectores público e privado, incluindo: jardins-de-infância, escolas, escolas de ensino especial, centros de dia, instituições para pessoas com deficiência, residências para crianças e jovens, hospitais gerais e psiquiátricos, instituições de inserção social, associações desportivas, projetos municipais, centros de atividades, instituições para pessoas idosas e clínicas privadas.

A profissão de Psicomotricista está regulamentada nas Instituições Particulares de Solidariedade Social, (ver abaixo anexo “Boletim do Trabalho e Emprego “) e é reconhecida pelo Ministério da Educação (no âmbito dos Centros de Recursos para a Inclusão) e pelo Ministério da Saúde (sendo obrigatória a inscrição dos Psicomotricistas na Entidade Reguladora da Saúde), bem como por outras entidades como a Segurança Social, a ADSE ou o SAMS, que já solicitam a confirmação das habilitações para o exercício profissional (Declaração de Psicomotricista) a todos os profissionais que alegam execer a profissão. No entanto, este reconhecimento ainda não constitui uma regulação formal e uniforme em todo o território nacional. Como tal, a APP continua a desenvolver várias iniciativas para promover a regulamentação da profissão pelas entidades competentes do Estado Português e para divulgar a especificidade da profissão junto das entidades públicas e privadas empregadoras ou potencialmente empregadoras.

DOWNLOAD DO BOLETIM DE TRABALHO E EMPREGO

DOWNLOAD DO BOLETIM DE PRÁTICAS PROFISSIONAIS

Junte-se a nós!

ASSOCIE-SE!